Corbélia reúne mais de 250 profissionais em I Fórum sobre espectro autista

Mais de 250 profissionais de saúde e da educação das cidades de Corbélia, Cafelândia, Anahy, Braganey e Nova Aurora participaram do 1° Fórum para falar sobre Transtorno do Espectro Autista (TEA) que aconteceu na noite da última terça-feira, 05 no Centro Cultural de Corbélia.

O evento foi promovido pela Secretaria Municipal de Corbélia e o palestrante da noite foi o médico Neurologista da Secretaria de Saúde de Corbelia. Dr. Ícaro, que também é membro titular da ABN, Neurologista do CETEA falou sobre o tema e das ações de educação em saúde, que segundo ele são fundamentais para o bem estar dos pacientes portadores do espectro. O médico. trouxe ainda dados que mostram que 1 a cada 52 nascidos são afetados por essa condição.

“A desmistificação e informações sobre esse transtorno traz para as famílias e pacientes novas maneiras de entender a pessoa com o espectro autista. Sempre fico muito contente quando vejo que esse “grito” sobre o autismo é ouvido.”

O objetivo do evento foi justamente a de fomentar a conscientização e trazer visibilidade para a condição, ainda desconhecida por muitos. A importância de conhecer o transtorno do espectro autista é trazer mais informações à sociedade sobre como conviver melhor com a diversidade do espectro autista, de forma respeitosa com oportunidades e equidade de direitos.

Entre os principais pontos abordados na palestra estavam:

  • A importância de um diagnóstico precoce para garantir melhor qualidade de vida para as crianças,
  • O que é o autismo
  • Os sinais de alerta
  • As estatísticas
  • Como lidar com o diagnóstico positivo para TEA
  • Tratamento
  • O autismo nos adultos

A Secretária de Saúde do município de Corbélia Cleide Teresinha dos Santos Messias viu a necessidade de um treinamento para as equipes de saúde depois de realizar uma estratificação de doenças mentais através do CAPS de Corbélia, em que mostrou o alto índice de portadores do espectro autista no município.

“Nós nos deparamos com esse público tão seleto e tão carente de cuidados especializados. Surgiu a necessidade de fazer essa noite de treinamento pros trabalhadores da saúde e profissionais da educação e abrimos para os municípios da microrregião, que também devam ter um número considerável de adultos e crianças que precisam desses cuidados especializados, principalmente os portadores de autismo.”

A continuidade dos treinamentos e capacitações para os profissionais vão ser a chave para proporcionar melhor atendimento e qualidade de vida as crianças e adultos. A Secretaria de Saúde ficou surpresa com a participação da comunidade em geral. O encontro contou com professores da rede municipal e estadual de ensino de Corbélia e das cidades da microrregião, famílias da AFA (Associação das Famílias de Autistas) de Corbélia, Trabalhadores do SUS, e comunidade em geral.

“Sem dúvida esses treinamentos devem ser continuados para qualificar a equipe e também a troca de conhecimento. O espectro autista é um diagnóstico novo, é complexo, e como o Dr. Ícaro falou nós profissionais da saúde e da educação temos muita dificuldade de trabalhar. A gente não sabe trabalhar porque não há um método, são N fatores de assistência que devem ser trabalhados para conseguir melhorar a qualidade de vida e aprendizado principalmente das crianças.”

Dr. Ícaro tenta explicar como a visão nossa influencia nos nosso entendimentos sobre o espectro. “Do lado de fora, olhando para dentro, você nunca poderá entendê-lo. Do lado de dentro, olhando para fora você jamais conseguirá explicá-lo. Isso é autismo.”

Conteúdo Protegido