Corbélia: Comissão entrega pedido de Tarifa Zero no pedágio ao Deputado Márcio Pacheco

A Comissão montada em Corbélia que está em em busca da Tarifa Zero para os moradores do município na Praça de Pedágio da BR-369, realizou a entrega do pedido de apoio ao Deputado Estadual Márcio Pacheco (PDT). A reunião aconteceu na tarde desta quinta-feira, 06, na Câmara de Vereadores do Município.

O Presidente da Comissão o vereador Paulo do Raio-X (MDB) falou da importância em ter o apoio de deputados, e também de levar à todos os representantes a situação que Corbélia enfrenta desde a instalação da praça de pedágio na BR-369.

“O nosso primeiro passo é junto aos deputados, porque são eles que vão levar o nosso pleito ao Governador e o Governador que vai levar a nível federal. Nosso nível hierárquico são os Deputados, são eles que nos representa na Assembleia, sendo que o Governador do Estado do Paraná tem poder de barganha junto ao Governo Federal e essa é uma questão local. A obrigação do Estado do Paraná é olhar por essa situação e fazer com que essa injustiça que temos passado nesses 20 e poucos anos seja revertida”

O Deputado Estadual Márcio Pacheco reforçou seu apoio à luta de Corbélia, e afirmou que é necessária essa movimentação e pressão política para que o Governo Federal atenda o pedido dos moradores. Márcio lembrou da última conquista, também movida pela pressão e organização dos moradores locais. “Essa luta já vem de outros tempos, nesses atuais contratos de pedágio, a população que acompanhou há três anos, em que eu estive totalmente a frente e foi através do nosso pedido que aconteceu uma audiência pública, junto com outras lideranças na época, nós tentávamos e conseguimos uma grande redução para os moradores.”

“Agora nós temos a oportunidade de debater um novo modelo e é nesse novo modelo que os vereadores de Corbélia estão nessa luta junto com a população na tentativa de que nesse novo processo possa estar de fato essa ideia de que no município de Corbélia seja Tarifa Zero para os moradores de Corbélia. E nós estamos ao lado dos vereadores nessa luta”.

Além de Márcio Pacheco a comissão também ganhou apoios importantes na ALEP, em especial do próprio coordenador da Frente Parlamentar do Pedágio, Deputado Arilson Chiorato. “A gente já conquistou o apoio de muitos parlamentares, hoje temos 11 parlamentares apoiando o movimento. Estamos recebendo alguns deputados aqui na Câmara de Vereadores, os que são da região. E a gente esteve em Curitiba, conversamos com o coordenador da Frente Parlamentar do Pedágio, Deputado Arilson Chiorato (PT), que declarou seu apoio pra gente.”

Diversas audiências públicas estão sendo realizadas nos município que possuem praça de pedágio, como Corbélia. A comissão é peça importante nestas discussões, principalmente para ver como se dá o desenrolar em municípios que possuem situação semelhante à Corbélia. “A gente está tendo audiências públicas, e estamos tendo a oportunidade de participar dessas audiências online, e nos próximos dias vai haver uma em relação à Lapa que é um município que tem a mesma situação, mas cada um tem sua peculiaridade. E Corbélia eu vejo que é o único município do Paraná que tem um pedágio dividindo dois distritos da sede da cidade” explicou o vereador Paulo do Raio-X.

A comissão está com um abaixo-assinado coletando assinaturas de toda a população no comércio do município. As assinaturas serão enviadas à Frente Parlamentar do Pedágio, e a participação dos moradores será primordial para que os prejuízos causados pela existência da praça de pedágio dividindo o município não volte a acontecer. “É impossível fazer um estudo técnico com números. A gente não tem como mensurar o tamanho do prejuízo que isso causa pra população de Corbélia. A gente sabe que os valores são absurdos, sabemos o número de pessoas que se utilizam desse pedágio, mas mensurar em exato o prejuízo é impossível porque é muito grande. Além do prejuízo social que ele causa” afirmou o vereador.

“Nós sabemos qual é o caminho e nós temos que lutar para que isso aconteça, e que tenha no contrato sejam excluídos os moradores do município” reiterou Pacheco.

Conteúdo Protegido