PM de Corbélia conta sobre cuidados para se recuperar da COVID-19

O Policial Militar de Corbélia Samuel dos Santos não imaginou que um almoço, no fim das férias de 36 dias, ao lado do irmão e da mãe em Cascavel iria ser o foco da sua contaminação do novo coronavírus.

O irmão deveria estar em isolamento pois esteve em contato com um caso confirmado da doença. Ele no entanto omitira a informação de todos da família, e somente com o resultado positivo é que revelou o fato.

Já era tarde demais, Samuel estava com sintomas da doença. A mãe, moradora de Cascavel também apresentava sintomas ainda mais severos.

O almoço que reuniu a família aconteceu no domingo, 17 de maio, os primeiros sintomas já começaram aparecer quatro dias depois como conta o Policial Militar.

“Na quinta-feira, 21, quando eu levantei de manhã tive um choque, quando pisei no chão. E já pensei: vai dar febre. Achei que era gripe. Deu febre na quinta-feira, fiquei com febre o dia inteiro. Tomei antigripais e fui tratando. E aquela febre passou, a dor e o incômodo. Na sexta-feira eu já esta estava melhor, no sábado também.”

No domingo, 24, sete dias após o almoço, Samuel observou novos sintomas característicos de pacientes com o novo coronavírus, ele não tinha paladar. Na segunda-feira, 25 não sentia mais cheiro nem gosto algum.

Apesar dos sintomas não buscou auxílio médico, e com o fim das férias retornou ao trabalho na quarta-feira, 27 em um plantão de 24h. No entanto, a baixa temperatura da madrugada fez com que novos sintomas surgissem.

“Eu tenho sinusite, e me ataca ao menos uma vez por ano. No outro dia estava um bagaço, tudo inflamado. Cheguei em casa comecei usar meu descongestionante que sempre uso. Deu uma melhorada, mas eu resolvi ir atrás de mais remédio e fui até o posto. Cheguei lá e com os sintomas que eu tive fui encaminhado direto para o hospital de campanha.”

No Hospital de Campanha Samuel já foi encaminhado para realizar o teste para o novo coronavírus, foi internado e fez raio-x. Nesse meio tempo chegou a confirmação do teste realizado pelo irmão de Samuel, ele também estava com a COVID-19. A mãe também já estava internada e apresentava sintomas da doença.

O teste realizado por Samuel chegou dias depois positivado para a COVID-19. Ele ficou internado no Hospital de Campanha por quatro dias, e teve que se isolar na edícula por mais três dias até completar o ciclo de transmissão da doença.

Dos familiares de Samuel somente uma das irmãs testou negativo para o vírus. O pai, a mãe, uma irmã, e o irmão e ele todos tiveram a COVID-19 e já estão recuperados.

A esposa de Samuel fez o teste mas o exame testou negativo para a COVID-19. A filha do casal não foi testada. Samuel acredita que mesmo diante do resultado, e sem sintomas ambas tiveram doença.

No dia 04 de junho Samuel pôde voltar ao trabalho e também circular dentro da própria casa. Possivelmente imune ao vírus fica a lição.

“Eu quase cumpri 100% a questão do distanciamento e do isolamento, a gente ficou em casa. A minha mãe, meu pai também, minhas irmãs cuidaram muito. Elas ficaram 60 dias dentro de casa. Usaram álcool em gel. Então estavam bem cuidados. Mas, a gente foi em um almoço e todos fomos contaminados porque um quebrou o isolamento. Um que não cuidou. O negócio é se cuidar.”

Conteúdo Protegido
%d blogueiros gostam disto: