Falta de medicamentos afeta UBSs de Corbélia

De repente eles sumiram das prateleiras antibióticos líquidos, xaropes, antialérgicos, analgésicos e medicamentos de recomposição hormonal estão em falta em algumas farmácias públicas e privadas do estado.

Corbélia já enfrenta a falta de ao menos sete medicamentos, mas não é só por aqui que os farmacêuticos pedem que os médicos busquem alternativas para que os pacientes não fiquem sem tratamento, a situação se repete em toda a região como conta o Coordenador da Assistência Farmacêutica de Corbélia Felipe André Pereira Ramos.

“Sim, estamos com a falta de alguns medicamentos. E não é somente Corbélia que esta com esse problema, pois temos contatos com vários municípios da redondeza e sempre estamos nos ajudando para evitar faltas de medicamentos. E essa é uma realidade geral.”

Mas o que leva os medicamentos sumirem das prateleiras? De acordo com os comunicados recebidos pela Secretaria Municipal de Saúde, entre as principais justificativas está a falta de insumos para a fabricação dos remédios. Apesar de existir contratos abertos, as empresas não conseguem importar insumos desde o início da guerra entre Rússia e Ucrânia. Segundo o presidente do Sindifarma Paraná, Edenir Zandoná Junior a pandemia de Covid-19 foi o gatilho, mas o conflito entre os dois países intensificou o problema.

De acordo com o ofício enviado pelo Consórcio Paraná Saúde, Nº 338/2022, “são inúmeras as situações existentes que resultam no atraso da entrega dos medicamentos contratados, o que vem sendo relatado há muitos anos aos gestores federais do Sistema Único de Saúde, por meio de relatórios deste Consórcio, acompanhando a oferta de medicamentos (desde 2012). Porém, diante da ocorrência da pandemia, houve incremento da severidade de alguns problemas e surgimento de novos.”

Felipe confirma que houve um aumento no número de prescrição desses medicamentos o que elevou o consumo muito rapidamente.

“Além da falta de reposição do estoque para alguns medicamentos, o consumo nos últimos meses tem aumentado. O número de prescrições tem aumentado e a reposição de alguns medicamentos esta demorando um pouco para ocorrer.”

Entre os medicamentos que estão em falta em Corbélia está um dos principais antibióticos utilizados para tratamento de diversas infecções bacterianas, a Amoxicilina. Utilizado contra várias infecções, esse antibiótico é utilizado no tratamento de pneumonia, amigdalite e problemas no trato genitourinário, a exemplo de infecção urinária. Sem ele os médicos precisam fazer prescrições de medicamentos substitutos como explica Felipe.

“Procuramos repassar as faltas e o que esta com estoque pequeno para que os médicos possam orientar e manejar o paciente da melhor maneira. Temos alguns medicamentos que podem substituir os que estão em falta, ai os médicos tentam prescrever o que temos, mas tem situações que o paciente acaba tendo que comprar para tratar sua patologia.”

Medicamentos em falta no momento:
❌ Amoxicilina 50mg/ml suspensão
❌ Amoxicilina 50mg + Clavulanato 12,5mg/ml suspensão
❌ Amoxicilina 500mg cápsula
❌ Budesonida 32 e 64mcg
❌ Dipirona 500mg/ml gts
❌ Dramin gts
Medicamentos com pouca quantidade sem a previsão de chegada (Já comprado, mas com problemas de comercialização)
❌ Benzilpenicilina (benzetacil) 1.200.000UI (Disponibilizado no momento apenas para tratamento de sífilis)
❌ Tramadol 50mg/ml inj (O que temos esta disponibilizado no pronto atendimento)
❌ Dipirona 500mg/ml inj

Soro Fisiológico

Além dos medicamentos já citados, os Postos de Saúde podem sofrer também com a falta de Soro Fisiológico. De acordo com o mesmo ofício enviado pelo Consórcio Paraná Saúde, a empresa alega falta de disponibilidade do produto no mercado, e a previsão de entrega é até 31/05/2022.

No ofício o consórcio deixa bem claro que as previsões de alguns fornecedores muitas vezes não são cumpridas, “não somos avisados e somos instados a consultar novamente, nem sempre com retorno. Isto certamente prejudica a disponibilização da informação aos municípios.”

O soro não possui um medicamento que possa substituí-lo por isso a orientação é que se utilize somente para infusão endovenoso, os profissionais não podem dispensar para paciente fazer lavagem nasal, curativo e qualquer outro procedimento que não seja a infusão endovenoso.

Medidas

A Secretária Municipal de Saúde Cleide Teresinha dos Santos Messias afirmou que está em conversa com todos os órgãos competentes, e em cobrança constante dos fornecedores que estão licitados no município. “Estamos tentando ao máximo fazer com que os pacientes sejam atendidos, mesmo que por remédios substitutos. Mas há situações que não é possível evitar. As equipes estão orientando os pacientes das dificuldades que estamos enfrentando.”

Conteúdo Protegido