Decreto de Cascavel tem restrições mais rígidas para o fim de semana

Servidores visitaram, até agora, 170 estabelecimentos comerciais com orientações aos comerciantes e fiscalizando irregularidades.

A força-tarefa organizada pelo Município fiscaliza desde o início da semana, o cumprimento dos decretos – do Estado e do Município – que conferiram medidas mais rígidas de combate ao coronavírus, após o agravamento dos casos. 

Servidores visitaram, até agora, 170 estabelecimentos comerciais com orientações aos comerciantes e fiscalizando irregularidades.

Na noite de quinta-feira 11/03, duas notificações e 58 vistorias foram concretizadas a supermercados, bares e restaurantes. A maioria cumpre bem as determinações e colaboram conscientes com medidas de prevenção ao coronavírus. A secretária de Desenvolvimento Econômico, Hivonete Piccoli disse que não são apenas os bares e supermercados que precisam cumprir regras, o consumidor, a população de modo geral também tem o seu papel na sociedade.

O decreto do governo paranaense em vigor restringe a circulação de pessoas entre as 20h e as 5h. A medida também proíbe a comercialização e o consumo de bebidas alcoólicas em espaços de uso público ou coletivo das 20h às 5h.

Fim de semana, restrições mais rígidas

A ação continuará neste fim de semana em Cascavel, pois o decreto determina a suspensão dos serviços e atividades não essenciais no sábado 13 e domingo 14/03.

A orientação é que a população fique atenta e evite sair de casa.

Nesses dois dias, os serviços classificados como não essenciais deverão ficar suspensos.

Lojas, academias, shopping não são considerados essenciais.

Restaurantes, bares, food trucks, pizzarias e lanchonetes fica vedado o consumo no local, permitindo-se o funcionamento apenas por meio das modalidades de entrega nos dias 13 e 14.

Supermercados, farmácias e clínicas médicas sem qualquer limitação de horário durante todos os dias da semana.

O Transporte Coletivo em Cascavel está suspenso até domingo 14/03.

Hivonete Picolli reforça que os locais e pessoas que não estejam cumprindo o apelo de prevenir o vírus, poderão sofrer sanções administrativas e até de natureza penal. Ressalta ainda que precisamos cuidar de quem nos cercam e lutar para que não aconteça uma paralisação total do comércio. Mas mesmo diante do medo, o agir é o mais poderoso dos comportamentos. A arma que se tem neste momento é colaborar com os servidores da saúde para também ajudar a salvar vidas.

Fonte: Portal do Cidadão

Conteúdo Protegido