Com casos de dengue em alta, vigilância realiza ações para conter avanço da doença em Corbélia

A vigilância Ambiental, juntamente com a equipe de Controle de Endemias de Corbélia realizou nesta terça-feira, 26, ações chamadas de bloqueios utilizando veneno em localidades do município em que houve registro positivo de dengue. A população não tem contribuído com os mínimos cuidados necessários para evitar o acúmulo de água e proliferação do mosquito aedes aegypti, o que tem provocado um aumento no número de casos no município.

O boletim divulgado nesta sexta-feira, 29, aponta que o município já registrou 73 notificações, tendo elas 8 casos positivos, e 16 ainda aguardam resultados dos exames. Foram descartados 49 casos.

A utilização do veneno é feita somente nos locais onde há casos positivos, mas a limpeza dos lotes e eliminação de criadouros é uma obrigação da população.

Estado passa dos 90 mil casos notificados de dengue, aponta boletim

O boletim semanal da dengue, publicado nesta terça-feira (26) pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), registra 94.344 casos notificados no Paraná. São 14.340 a mais na comparação com a semana passada. Além disso, são 30.010 confirmações, 6.849 a mais, um aumento cerca de 30% em relação aos números do informe anterior.

Dos 369 municípios que registraram notificações de dengue (92,4% do Estado), 300 já confirmaram a doença (75,1%). De acordo com o relatório, 261 deles confirmaram casos autóctones no período, ou seja, a dengue foi contraída no município de residência dos pacientes. Nesta semana, não houve registro de nenhum óbito – o total ainda é de cinco, em Nova Esperança, Arapongas, Tapira, Matelândia e Medianeira. 

Os dados são do 35º Informe Epidemiológico, do novo período sazonal da doença, que iniciou no dia 1º de agosto e deve seguir até julho de 2022.

O Engenheiro Ambiental e Coordenador de Vigilância Ambiental e Endemias de Corbélia, Augusto Tomazzoni Libenow lembra que apesar de Corbélia ainda ter um número até baixo de casos de dengue, os municípios vizinhos estão decretando epidemia da doença, o que faz com que os cuidados devam ser redobrados.

“Ressaltamos que vários municípios vizinhos estão em epidemia, sendo que a maior parte dos casos que tem surgido na nossa cidade são de pessoas que trabalham ou frequentam estas cidades. Caso alguém faça consulta particular ou tenha algum sintoma de dengue é de suma importância comunicar o setor de Vigilância para a organização dos trabalhos preventivos de campo. Estamos na reta final do período endêmico, é importante que cada um faça a sua parte.”

No dia 19 de abril o Estado confirmou condição epidêmica de dengue por conta dos casos prováveis e confirmados, que estavam acima do esperado para o período epidemiológico. Diante deste cenário e do aumento dos casos, as equipes da Vigilância Ambiental da Secretaria Estadual de Saúde se reuniram com gestores municipais das regiões Oeste e Sudoeste para o enfrentamento do surto da doença. 

Conteúdo Protegido