Sem vagas de internamento, Corbélia tem fila de espera de pacientes com COVID-19

Não há vagas disponíveis para internamento no Hospital de Campanha que atende pacientes confirmados ou suspeitos de COVID-19 em Corbélia. Os oito leitos de enfermaria montados estão todos ocupados, e até o início da noite de ontem, segunda-feira, 14, já eram três pacientes que aguardavam em casa por uma vaga para internamento.

“Hoje nós temos 32 pacientes na macroregião aguardando na fila de espera para internação, alguns para UTI, e alguns para internação clínica. Aqui em Corbélia não é diferente. Nós estamos com oito internados e com três aqui de Corbélia aguardando na fila de espera. Dentro da rotina dos serviços os que estão internados no nosso hospital de campanha, no nosso ambulatório deveriam ir para uma vaga fora de Corbélia, e aí nós absorveríamos esses pacientes que estão em casa. Mas não tem vaga hoje. Não tem em Cascavel, na região e nós não temos aqui em Corbélia.”

As informações foram confirmadas no fim da tarde de ontem, 14, pela própria Secretária de Saúde Cleide Messias que afirmou que a situação do município é gravíssima, tanto na rápida alta de casos, quanto na falta de leitos. Em entrevista ao vivo para a Conexão Revista Cleide ainda afirmou que poderá haver mortes por falta de leitos hospitalares no município, caso o número de pessoas contaminadas não pare de crescer.

“Nós temos aqui em Corbélia dois pacientes que a qualquer momento pode agravar e precisar de leito de UTI. Infelizmente a gente não tem como dar garantia que esse paciente vai para uma enfermaria em um hospital, que se ele precisar ele pode ir para uma UTI. Infelizmente ele acaba ficando com a gente até que a situação se agrave muito e se for o caso se conseguir uma vaga aí pode ser transferido, ou se não, ele vai ir à óbito aqui com nós mesmo.”

O Hospital de Campanha aberto em Maio no Centro de Eventos foi reduzido, e transferido para o Sindicato dos Servidores Municipais na Vila Unida. E de 54 leitos que antes estava disponível, agora há somente oito.

A Secretária afirmou que em reunião com o Prefeito Dr. Giovani Wolf Wantuf o Estado por meio da Secretaria de Saúde e 10ª Regional solicitou a abertura de leitos de enfermaria e de UTI no Hospital Santa Simone, que pertence à família do Prefeito.

“Nós estamos estudando todas as possibilidades. A Secretaria de Estado, através da Regional de Saúde solicitou que o Hospital Santa Simone abra pelo menos 15 vagas de enfermaria para internação de pacientes COVID.”

Cleide explicou que durante a tarde uma equipe técnica visitou o Hospital analisando junto ao Dr. Giovani a possibilidade de realizar uma separação interna deixando uma ala exclusivamente para atendimentos clínicos de pacientes que não estão com COVID e uma ala exclusiva para os casos suspeitos e confirmados da doença.

“O grande desafio é buscar o meio jurídico para fazer isso, porque hoje nós temos uma situação que não é boa para nós, que piora, porque o nosso prefeito hoje é o dono do serviço. Ele é o prefeito e é o prestador de serviço porque o Hospital é privado. Nós estamos buscando uma forma jurídica de conseguir otimizar a estrutura que nós temos contratada no município, esses profissionais que são altamente capacitados, e a gente fazer um serviço único.”

Segundo não tem como o Dr. Giovani conseguir profissionais para colocar na estrutura do Hospital duas equipes separadas. “Nós estamos buscando a viabilidade jurídica, e nos próximos dias o Hospital Santa Simone deve atender a solicitação do Estado, que é a abertura de vagas no hospital para a macroregião de saúde, pra central de leitos, e nós estamos conversando quanto à município de levar a nossa estrutura de internamento para dentro do hospital para essa ala covid. Porque sem dúvida nenhuma esses pacientes serão melhor assistidos.”

Cleide adiantou também a informação de que está sendo avaliada a possibilidade da instalação de leitos de UTI de retaguarda no Hospital. “A ideia é que a gente consiga deixar pelo menos quatro leitos de retaguarda. Porque esse paciente que está internado em uma enfermaria, se ele agravar e não tiver uma vaga para ele via central nós podemos dar para ele uma sobrevida, uma condição melhor para esse paciente aqui dentro do Hospital Santa Sinome.”

De acordo com o levantamento realizado pela Secretaria Municipal de Saúde, cada contaminado no município de Corbélia está contaminando mais três pessoas. A taxa de contaminação deixa o município em bandeira vermelha, com alto risco de contaminação.

“Só neste final de semana nós tivemos um aumento de 49 novos casos. Isso é bastante pra Corbélia. E as pessoas tem agravado, tanto que estamos com dificuldade de vagas para internação.”

Para o primeiro mês de 2021 a projeção é de um aumento ainda mais significante. “Se as pessoas não tomarem os devidos cuidados o crescimento será altíssimo. A gente fazia uma conta no início da pandemia que até dezembro morreriam em torno de 20 pessoas de acordo com a estatística da população de Corbélia. E parece que as pessoas perderam o medo do vírus. As pessoas estão descuidadas.”

A colaboração da população será crucial para que o número de contaminados não aumente. “Se a população não fizer sua parte, se a população continuar se aglomerando nos bares, nos restaurantes, nas praças, nos domicílios, nas festas natalinas, o prognóstico não é bom. Ele é bem triste para todos nós.”

A Secretária de Saúde aproveitou o momento para ressaltar e agradecer os colaboradores da saúde entre médicos, enfermeiras, técnicos, auxiliares, motoristas e serviços em geral que estão atuando na linha de frente da COVID-19 em Corbélia.



Conteúdo Protegido
%d blogueiros gostam disto: