Ônibus metropolitano de Corbélia descumpre decreto municipal e tem superlotação

A denúncia de uma passageira veio pelas redes sociais e ela vem acompanhada de fotos e vídeos em que mostra a superlotação no ônibus metropolitano da empresa Expresso Maringá que faz a linha Corbélia x Cascavel.

A superlotação descumpre o decreto municipal 437/2020 em que diz que os veículos operantes do Transporte Municipal deverão circular com até 50% da sua capacidade de lotação de passageiros sentados, intensificando os cuidados de higienização.

A situação vivenciada pelos usuários do transporte no entanto, é totalmente oposta, e mostra passageiros em pé, e quase sem nenhum espaço entre eles. A passageira que fez a reclamação no Facebook descreveu o descaso que acontece desde a retomada das atividades do comércio em Cascavel.

Já foi falado com o João Rosa (nem sei pra que esse homem serve) já foi falado com a empresa Expresso Maringá, já foi falado com o Alexssandro Ervin Dai que disse que seria colocado fiscais para averiguar a situação. Eu mesma tirei as fotos, eu fiz um vídeo e mandei para a Tarobá e foi ao ar na Quinta-Feira 09/04. NADA MUDOU”

A linha metropolitana da Expresso Maringá está trabalhando com horários reduzidos e com apenas um único horário pela manhã. Com isso os moradores de Corbélia que trabalham em Cascavel precisam enfrentar o risco em um único ônibus superlotado.

De acordo com uma postagem de uma colaboradora da Expresso Maringá a partir desta terça-feira, 14 haverá mais um ônibus para auxiliar no transporte as 7h da manhã, e um as 17h30min.

Para que volta de Cascavel serão três horários 8h, 17h30 e 18h30.

A informação foi confirmada por Alexssandro Ervin Dai, Diretor do Departamento de Vigilância em Saúde. Ele informou ainda que serão colocados diariamente dois fiscais neste horário para garantir o cumprimento do decreto e permitir o transporte somente de pessoas sentadas.

A fiscalização nos ônibus está prevista para começar nesta quarta-feira, 15.

Referente ao descumprimento do decreto que vinha ocorrendo pela Expresso Maringá, Alexsandro informou que a situação foi encaminhada ao jurídico que está avaliando quais medidas serão tomadas.

Conteúdo Protegido
%d blogueiros gostam disto: