Fechamento de comércio em Corbélia é prejudicial para administração municipal


Fotografia Lindiagane Silveira Todos os Direitos Reservados - Proibida a reprodução.

Você está lendo esta notícia no site Conexão Revista. Um portal de notícias independente e feito por jornalistas com informações sobre tudo o que acontece em Corbélia e região.

O fechamento de lojas de serviços não essenciais em Corbélia, além de prejudicial as empresários, que deixam de faturar, é também um risco para a economia financeira do município.

O fechamento por 15 dias no mês de março refletiu drasticamente no valor de arrecadação de impostos do município no mês de abril, e consequentemente o repasse de ICMS no mês maio ficou muito abaixo do esperado.

Em 2019 o repasse bruto de ICMS ao município de Corbélia foi de R$1.441.303,97. Em maio de 2020 ele foi de R$826.655,73, um valor 42,64% menor que no ano anterior.

O Prefeito Dr. Giovani afirma que a situação é complicada, já que ao mesmo tempo que está defendo o comerciante pela sua sobrevivência financeira econômica, o município também defende seu interesse de arrecadação.

“O município também está perdendo absurdamente com esse fechamento. A circulação de recursos que é recolhido pára, ISS ou ICMS que vem do Estado, e nós perdemos muito. A arrecadação do município cai com um fechamento como esse.”

O prefeito afirma também que o comerciante saiba da sua importância para que o governo municipal também possa seguir com suas contas em dia.

“Nunca, jamais o município pode ficar tranquilo com o fechamento do comércio. Eu também tenho uma folha de pagamento. A prefeitura nada mais é do que uma grande empresa no município, a que mais emprega, e a que mais investe em recursos.”

De acordo com um levantamento realizado internamente pela Prefeitura Corbélia está um índice recorde de investimentos. Segundo o Prefeito, isso só é possível graças a arrecadação municipal.

“A medida que a arrecadação cai, o município também passar por percalços, seja para cumprir folha de pagamento, seja para honrar com seus fornecedores para pagar suas despesas.”

O auxilio emergencial, que prevê o repasse de 600 reais mensais a trabalhadores informais e de baixa renda, microempreendedores individuais e também contribuintes individuais do Instituto Nacional do Seguro Social, prejudicados com a pandemia, é visto como um calibrador de perdas de consumo. Ao ser disponibilizado à população o dinheiro circula no comércio do município e estimula ainda mais o consumo.

Os recursos destinados à COVID-19, recebidos pela prefeitura, são os chamados recursos vinculados. Em que os recursos são legalmente vinculados a finalidade específica e podem ser utilizados exclusivamente para atender ao objeto de sua vinculação como explica o Vice-prefeito Dangelles Decki.

“Os recursos que vem pra COVID-19 é para pagamentos de médicos que estão à frente, pagamento de medicamentos e não podem ser investidos em outros setores. Se sobrar desse recurso que vem do Governo Federal, ele tem que retornar para o Governo Federal e não permanece para o município.”

Os recursos auxiliam na manutenção do Hospital de Campanha, testes realizados em pacientes, tanto rápidos quanto PCRs, medicamentos e também no pagamento dos profissionais de saúde.

“Nós temos que utilizar os recursos de maneira responsável, e equilibrada porque não sabemos se vem novos recursos daqui pra frente. Hoje nós recebemos um montante, e é isso que temos para trabalhar, mas por quanto tempo? Não sabemos. Ninguém sabe o prazo da duração da pandemia e não sabemos o período de crise que vamos enfrentar.”

Envie sugestões de pautas, fotos ou videos, para o nosso Whatsapp que a nossa equipe irá atender você (45) 9 9958-3996 ou Receba notícias da Conexão Revista no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!

Conteúdo Protegido
%d blogueiros gostam disto: