Falta de diagnóstico permitiu velório com caixão aberto de vítima da COVID-19 em Corbélia

Laboratório Central do Estado - LACEN - Recepção de amostras para teste do Coronavirus. Curitiba, 01/04/2020 - Foto: Geraldo Bubniak/AEN

O velório em caixão aberto da primeira vítima de COVID-19 no município de Corbélia pode ter sido vetor de transmissão do vírus para um grande número de pessoas, como familiares e amigos da vítima que estiveram no local.

A paciente, uma idosa de 74 anos, ficou internada por 25 dias em Cascavel no Hospital Salete por problemas cardíacos. Segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde, não havia suspeita de COVID-19. O diagnóstico positivo para o vírus só saiu uma semana depois da sua morte, nesta quinta-feira, 16.

A morte da idosa aconteceu na quarta-feira, 08 de julho, e como não havia suspeita da contaminação foi possível que o velório fosse realizado com caixão aberto, o que acabou colocando em risco todos os que estiveram presentes.

A Secretária de Saúde de Corbélia Cleide Messias, só foi informada da confirmação da doença no fim da manhã desta quinta-feira, 16.

“O Estado/ SESA é moroso para repassar as informações dos resultados destes exames, acaba colocando em risco a comunidade, visto que o velório desta pessoa foi com o caixão aberto porque não havia nenhuma informação a respeito da suspeita de Covid”

Os trabalhadores da Unidade Básica de Saúde USF Avelino Beltramin que atendem no distrito da Penha, já estão sendo orientados a realizar um levantamento das pessoas que foram até o local do velório, e que participaram dos ritos funerários.

“A equipe da UBS vai fazer este levantamento e proceder as orientações cabíveis de isolamento, e a realização de testes para COVID-19. ”

Conteúdo Protegido
%d blogueiros gostam disto: