Em meio à protestos empresários de Corbélia pedem reavaliação de decreto Estadual

As mobilizações dos empresários, comerciantes e lojistas de Corbélia começaram através das redes sociais e grupos de WhatsApp. O pedido de reavaliação do Decreto Estadual 4942/20 é unanime entre os que podem abrir e os que não são considerados serviços essenciais e devem permanecer de portas fechadas até o dia 14 de junho.

A carreata teve início às 14h em frente a Prefeitura de Corbélia. Em torno de 80 carros começaram o trajeto, e conforme avançavam pelas principais ruas de Corbélia, mais empresários se juntavam à causa.

Um carro de som trazia a mensagem de que todo serviço é essencial quando se traz o sustento de alguém. O movimento que começou em frente ao Paço Municipal também terminou ali depois de cerca de 20 minutos.

O prefeito em exercício Dangelles Decki, juntamente com a equipe do Gabinete estava ali esperando os empresários. A fala ficou em torno da alta relevância que a mobilização reflete diante do poder Estadual. Para Dangelles os protestos nas diversas cidades, prejudicadas com o fechamento, é primordial para chamar atenção do Governador Ratinho Júnior, e pressionar para que o Decreto seja reavaliado cidade por cidade.

Segundo ele o cenário é totalmente diferente entre os municípios atingidos, e não é possível comparar as pequenas das grandes cidades.

Aos poucos os empresários se dispersaram, mas a chegada do Prefeito licenciado Dr. Giovani Hnatuw, fez com que um pequena aglomeração se formasse em frente à prefeitura. O objetivo dos empresários era de ouvir do chefe do executivo o que poderia ser feito, e também de que forma eles poderiam agir.

Giovani foi enfático ao afirmar que também não concorda com a forma como o Decreto foi feito, e explicou claramente que o Governador se ateve à todos os detalhes de maneira em que não deixa brechas para que os prefeitos possam agir, mesmo com o entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) em que reconhece a competência concorrente de estados, DF, municípios e União no combate à Covid-19.

Segundo ele, a principal forma de transmissão do vírus em Corbélia está entre os moradores da mesma casa, ou parentes próximos. O que mostra que o fechamento do comércio não seria uma estratégia que traria grande impacto na disseminação do vírus. Giovani ressaltou que os encontros familiares aos finais de semana tem sido a principal forma de transmissão.

Em meio à este cenário o prefeito esclareceu que já tomou todas as medidas que possam favorecer o comércio local, mas reafirmou que o Decreto Estadual precisa ser respeitado. Caso isso não aconteça os próprios prejudicados serão os empresários, que possivelmente serão multados pelos órgãos do Governo Estadual.

Giovani citou ainda a notificação em que todas as Prefeituras receberam na última sexta-feira, 03, emitida pela Secretaria Estadual de Saúde. O documento exige o cumprimento integral do Decreto Estadual, e afirma ainda que seu descumprimento poderá acarretar na responsabilização sanitária da Prefeitura e também do Prefeito. A notificação considera que não há cabimento sanitário e jurídico possível a qualquer eventual recurso administrativo sobre o tema.

Aos empresários restou aguardar as respostas das medidas já tomadas, e principalmente encontrar estratégias para driblar o fechamento. Muitos deles tem adotado as entregas à domicílio, assim como o recebimento de contas direto na casa do cliente.

Já os que permanecem abertos reclamam do baixo número de compradores, impulsionados pelo fechamento da maioria.

Conteúdo Protegido
%d blogueiros gostam disto: