COVID-19: Nova Aurora dá início a vacinação de crianças

O início da vacinação das crianças de 5 a 11 anos é o mais novo passo da maior campanha de imunização que o Brasil já realizou e o município de Nova Aurora tem a grata satisfação em dar esse passo junto e assim inicio nesta quarta-feira (19) na vacinação no público alvo.

Ana Julia Bem, de 9 anos, foi a primeira criança a ser vacinada contra a Covid 19 em Nova Aurora. Ela recebeu a dose por volta das 8h10, no Posto Central Floriano Stoinski. A menina que têm problemas asmático, chegou na unidade de saúde por volta das 7h30 acompanhada da mãe, para receber a vacina.

Em Nova Aurora a vacinação será concentrada no Posto de Saúde Floriano Stoinski (Posto Central) e será na parte da manhã no horário das 07h30 às 11h30. Neste início de vacinação, a prioridade é para crianças que tenham comorbidades ou deficiência permanente, sendo necessário apresentação de laudo da condição ou comorbidade.

A vacinação de crianças sem comorbidades será informado posteriormente. Será necessário termo de assentimento por escrito, caso os pais das crianças não estejam com elas nos postos de vacinação. Necessário também documento de identificação da criança com CPF.

A vacina da Pfizer para crianças será aplicada em duas doses, sendo a segunda (D2), oito semanas depois da primeira dose (D1). As crianças só poderão ser vacinadas contra a Covid-19, quinze dias após terem recebido qualquer outra dose do calendário vacinal.

A carteira de vacinação da criança deverá ser apresentada, nela será registrada a dose da Pfizer. A criança que completar 12 anos após a primeira dose, receberá a segunda normalmente, oito semanas após a D1.

Ainda na sexta feira (14), o Estado enviou o lote de 65.500 vacinas as 22 Regionais de Saúde em menos de cinco horas. O quantitativo descentralizado representa cerca de 5% da população infantil do Estado, estimada em 1.075 milhão.

O secretário municipal de saúde, Júnior Antunes, esteve acompanhando o início da imunização infantil. “Estamos preparados para vacinar todas as crianças de nossa cidade, quero tranquilizar os pais em relação as doses, nenhuma criança vai ficar sem imunização”, garantiu o secretário.

A vacinação seguira as diretrizes semelhantes às dos adultos, sendo iniciada por crianças com comorbidades e deficiência permanente, seguidas de indígenas e quilombolas, as que vivem em lares com pessoas com alto risco para a evolução grave de Covid 19 e, então, em ordem decrescente de idade, iniciando pelos 11 anos até chegar aos 5 anos.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Conteúdo Protegido