fbpx

Construção de escola na Penha é paralisada

A construção da Escola Municipal Dom Bosco no Distrito Nossa Senhora da Penha em Corbélia está paralisada desde o início de dezembro do ano passado por falta de pagamentos que deveriam ser realizados pelo Governo Federal por meio do programa FNDE – Fundo Nacional de Desenvolvimento Escolar.

A obra de mais de 1 milhão e 300 mil reais começou no dia 30 de março, mas pouco mais de 9 meses depois está com apenas 25% da escola concluída.

A previsão em contrato é que a entrega fosse realizada em Julho deste ano, mas com os atrasos nos pagamentos à construtora, a conclusão deve demorar muito mais que o previsto. O valor já sofreu alterações e os aditivos que são feitos é de responsabilidade do município. Até o momento foi realizado apenas um aditivo de pouco mais de R$6 mil.

A Secretaria de Educação informou que a justificativa do Governo Federal para a demora nos pagamentos já no ano passado foi devido a pandemia, e que havia um corte nos gastos. Já no início deste ano o município foi informado de que não havia sido aberto o orçamento para 2021.

No entanto, mesmo com o orçamento já aberto, ainda não houve nenhum novo pagamento. Agora a explicação dada é que exista uma fila de espera que precisa ser respeitada.

A população aguarda há muito tempo por uma estrutura qualificada que possa receber os alunos, e a Secretária Silvia Mara lamenta a demora na conclusão da obra.

“O Distrito da Penha aguarda a muitos anos pela construção de uma Escola Municipal. Atualmente a Escola Dom Bosco está utilizando o prédio do Colégio Estadual São Francisco de Assis em forma de dualidade. É necessário ter espaço próprio, construir a história da educação do Distrito sobre o alicerce de uma escola própria. É válido ressaltar que a direção e equipe do São Francisco nos acolheu de braços abertos até a construção da nova escola, fica aqui nossa gratidão. Enquanto administração pública vamos nos empenhar pra retomar esta obra importantíssima para nossas crianças, professores, auxiliares de serviços, secretaria, APMF e comunidade em geral.”

O Deputado Federal Sérgio Souza foi quem abraçou o projeto, e deu o pontapé para que a escola saísse do papel. A equipe da Secretaria de Educação trabalha em busca da liberação dos valores atrasados e conta com o apoio do deputado para que isso aconteça o mais rápido possível.

O projeto contempla seis salas de aulas e o edifício tem capacidade de atendimento de até 360 alunos, em dois turnos (matutino e vespertino), ou 180 alunos em período integral.  O espaço irá receber os alunos de 1ª a 5ª série da Escola Dom Bosco, que atualmente estão alocados na estrutura do Colégio Estadual São Francisco.

A Educação Infantil, com crianças de 0 a 5 anos, foi desvinculada e uma nova unidade foi criada, o CMEI 1ª Infância. A unidade ganhou um espaço exclusivo e lá deve permanecer mesmo com a conclusão das obras, já que agora é independente.

Conteúdo Protegido