A cada seis testes realizados, quatro são positivos para COVID-19 em Corbélia

O número casos confirmados de COVID-19 em Corbélia está aumentando gradativamente, e tem preocupado a Vigilância Epidemiológica. Somente nos últimos sete dias (entre 28 de julho e 03 de agosto), foram 21 novos casos diagnosticados, uma média de três novos casos por dia.

Segundo a Enfermeira Daiane Palharini Frana, da Vigilância Epidemiológica é sentido o aumento a partir dos resultados de exames. “O número de infectados têm aumentado gradativamente. Diariamente, o Laboratório Central do Estado, libera resultados de exames de COVID para todos os municípios e o que temos percebido, é que o número de resultados positivos vem sendo maior do que os negativos.”

O aumento no número de casos confirmados está ligado a mudança de comportamento da população, que tem descumprido as recomendações impostas para frear o avanço do novo coronavírus. O principal público a descumprir as medidas, são também os que aparecem como maioria nos casos positivos, jovens entre 18 e 29 anos.

O afrouxamento das regras, aliado ao descuido da população pode elevar o número de casos repentinamente, e levar o município à uma situação grave de saúde pública.

Nas últimas semanas foi possível presenciar cenas de aglomeração em bares, e conveniências do município. O jovens parecem adotar comportamentos totalmente opostos aos estabelecidos durante a pandemia, que ainda não acabou.

“Temos percebido que a cada 6 resultados que recebemos, pelo menos 4 deles, são positivos. E a grande maioria, dos casos positivos, são de jovens, acima de 18 anos. E estes, jovens, que estão indo à festinhas e aos bares e conveniências, para curtir a noite, levam consigo pra casa, o vírus, que certamente não fará mal algum a pessoas saudáveis. Mas quem os espera em casa, os pais ou muitas vezes avós, que contam com algum tipo de doença crônica, além de serem contaminados, são quem provavelmente, sofrerão as consequências” detalha Daiane.

A disseminação entre familiares ainda permanece bastante evidente entre os casos, e a recomendação continua para a não realização de almoços e encontros familiares e de amigos.

“É bastante comum a disseminação entre pessoas que convivem na mesma casa diariamente. Por isso se torna tão importante que a população leve a sério, o confinamento/isolamento domiciliar de toda a família, quando uma pessoa da casa está com suspeita.”

O uso de máscara continua sendo obrigatório no município, no entanto, ele parece já ter sido esquecido por parte da população. Diariamente é possível encontrar pessoas circulando pelo comércio sem a proteção.

“Mas em contrapartida, o que assusta, é o número de pessoas que têm afrouxado nas medidas de cuidados para conter a disseminação da doença. Como a não utilização de máscaras, associado à momentos de aglomerações, como bares e lanchonetes e conveniências no município.”

Daiane reforça que a pandemia ainda não acabou no nosso município, e o vírus permanece circulando de maneira comunitária. A população não deve se apegar ao ambiente tranquilo e de “falsa segurança” que a região oferece.

“A minha preocupação, tanto enquanto enfermeira da Vigilância, como enquanto cidadã, é que a preocupação maior no momento, é que os jovens estão “perdendo o medo” de se contaminar. E justamente essa “falsa tranquilidade”, está fazendo com que eles se cuidem cada vez menos e é aí que a contaminação acontece.”

As medidas de prevenção contra o coronavírus como o distanciamento e isolamento social, além do uso de máscaras e álcool são as medidas mais eficazes no combate e transmissão da COVID-19.

“A nossa orientação no momento, é principalmente voltada aos jovens: Que tenham paciência, pois a pandemia AINDA não acabou. E que o cuidado DEVE continuar. O Uso de máscaras e o distanciamento social, continuam sendo a medida mais eficaz na luta contra o coronavírus” alerta Daiane.

Conteúdo Protegido
%d blogueiros gostam disto: