Universidades estaduais do Paraná estão entre as melhores do país

Volta as aulas na UEPG. Ponta Grossa, 16-03-15. Foto: Arnaldo Alves / ANPr.

Avaliação do Ministério da Educação (MEC) indica a qualidade do ensino superior brasileiro. Foram cinco universidades estaduais com conceito 4 e duas com conceito 3, em uma escala que vai de 1 a 5.

As sete universidades estaduais do Paraná mantiveram o bom desempenho na avaliação do Ministério da Educação (MEC), divulgada nesta terça-feira (18), que indica a qualidade do ensino superior brasileiro. Foram cinco universidades com conceito 4 e duas com conceito 3, em uma escala que vai de 1 a 5.

De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia do MEC, a Universidade Estadual de Londrina (UEL) é a mais bem colocada entre as Instituições Estaduais da Região Sul no Índice Geral de Cursos (IGC) 2017. No cenário nacional, a UEL ocupa a 23ª colocação entre as universidades brasileiras avaliadas e 21ª posição entre as públicas, consolidando-se entre as quatro melhores estaduais em todo o país e entre as duas melhores do Paraná.

O IGC da UEL subiu de 3,66 para 3,68, mantendo-se na chamada faixa 4. O INEP também avaliou 23 cursos de graduação da UEL, considerando o IGC e o Conceito Preliminar de Cursos (CPC), que representa uma média de diferentes medidas da qualidade. Destes cursos avaliados, sete aumentaram o conceito, 12 mantiveram a nota enquanto outros quatro diminuíram.

“Este é o resultado de um trabalho de qualidade que desenvolvemos em nossas universidades, realizado pelo excelente potencial humano que temos. É mérito de toda a comunidade acadêmica e também consequência de ações de um Governo que sempre priorizou as universidades”, enfatizou o secretário da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Décio Sperandio.

A UEM está em 27ª lugar entre as universidades brasileiras avaliadas. Entre as estaduais, é a sexta melhor do Brasil e a segunda do Paraná. A universidade obteve pontuação 3,58, o que a classifica na faixa 4, conceito que mantém desde 2007. Em 2016, o índice da UEM foi de 3,53, o que implica em um leve crescimento.

Foto: Arnaldo Alves / ANPr.




Conteúdo Protegido
%d blogueiros gostam disto: