Unimed Cascavel no Dia Mundial da Doença de Alzheimer

21 Setembro 2020

Tudo pode começar com uma falha de memória, daquelas que a família chega a pensar que faça parte processo normal do envelhecimento humano. Mas os lapsos vão se tornando cada vez mais frequentes e intensos, até a confirmação da causa: Doença de Alzheimer.

O que é

Também chama da de Mal de Alzheimer, essa é uma doença causada pela morte de células cerebrais, o que leva ao prejuízo de funções cognitivas (memória, atenção, concentração, orientação e linguagem). Com o passar do tempo, os pacientes – geralmente mulheres com mais de 65 anos de idade – passam a ficar confusos e apresentar alterações de personalidade. Nos casos mais avançados, acabam por não reconhecer os próprios familiares e até a si mesmos, quando colocados em frente ao espelho.

A perda dessas habilidades caracteriza um quadro de demência que, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, atinge mais de 35 milhões de pessoas no mundo. No Brasil, onde existem cerca de 1,2 milhão de casos, a OMS acredita que o número de diagnósticos triplique até 2050.

Diagnóstico

A identificação dos casos é feita com base em avaliação médica, testes cognitivos e exames de neuroimagem e outros, como a coleta de líquido cefalorraquidiano para avaliar biomarcadores.

No Brasil, mais da metade dos idosos com Alzheimer não sabem que possuem a doença. Dos casos diagnosticados, apenas um a cada quatro é tratado adequadamente.

Sintomas

Algumas pessoas podem reconhecer mudanças em si mesmas, antes mesmo que alguém se dê conta. Outras vezes, amigos e familiares são os primeiros a observar alterações na memória, comportamento e habilidades. Confira dez sinais de alerta:

1 • Perda de Memória
2 • Dificuldade em planear ou resolver problemas
3 • Dificuldade em executar tarefas familiares
4 • Perda da noção de tempo e desorientação
5 • Dificuldade em perceber imagens visuais e relações espaciais
6 • Problemas de linguagem
7 • Trocar o lugar das coisas
8 • Discernimento fraco ou diminuído
9 • Afastamento do trabalho e da vida social
10 • Alterações de humor e personalidade

Tratamento

Há medicamentos que amenizam os sintomas, ainda que não sejam capazes de interromper os processos neurodegenerativos associados à doença e que levam ao quadro demencial. O tratamento médico adequado, principalmente quando iniciado precocemente, faz com que a doença se estabilize ou progrida de maneira mais lenta.

Seguir adequadamente as recomendações médicas de tratamento, passar  por reavaliações médicas periódicas e orientar adequadamente os familiares sobre todas as situações da doença são passos fundamentais para uma boa evolução do paciente.

Fique atento (a)

A medicina atual é capaz de diagnosticar a Doença de Alzheimer até dez anos antes da manifestação dos primeiros sintomas. E você pode ficar atento (a) aos fatores de risco:

• Casos de Alzheimer na família
• Diabetes mellitus
• Hipertensão arterial
• Depressão
• Surdez
• Baixa escolaridade
• Sedentarism
• Consumo elevado de gordura saturada
• Consumo excessivo de bebidas alcoólicas
• Infecções recorrentes por vírus da família herpes
• Exposição crônica à poluição atmosférica

Prevenção

Atividades físicas, alimentação saudável e cuidados com fatores de risco ajudam a evitar a doença. Além disso, procure exercitar a mente com atividades contínuas de aprendizado.

Idoso Bem Cuidado

A Unimed Cascavel tem um projeto de Medicina Preventiva voltada aos beneficiários com mais de 60 anos de idade e que inclui atividades que auxiliam na prevenção ao Alzheimer.  O Idoso Bem Cuidado é uma iniciativa desenvolvida pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Trata-se de um modelo inovador de atenção por meio de um cuidado integral, conforme os pilares da Atenção Primária.

As medidas contam com o apoio de uma equipe multidisciplinar para auxiliar a conduzir os participantes a um processo de envelhecimento ativo, garantindo a prevenção, a reabilitação, o bem-estar e a qualidade de vida.

A psicóloga Ariella Sousa comanda a oficina de memória, que oferece exercícios práticos, lúdicos, desafiadores e divertidos. “Com o passar dos anos, os idosos vão deixando de receber estímulos, sentem dificuldade de sair da rotina, de se adaptar às novas situações e se tornam mais vulneráveis às doenças crônicas e à depressão. A estimulação cognitiva tem efeito positivo não só para a cognição, mas também na sintomatologia depressiva e na autonomia dos idosos. O Projeto Oficina da Memória tem como proposta utilizar dinâmicas e técnicas para melhorar as habilidades cognitivas, a autoestima, a socialização e, consequentemente, a melhora da saúde do idoso”, explica a psicóloga.

Para mais informações sobre o Idoso Bem Cuidado, CLIQUE AQUI ou ligue para (45) 3099-4115.  

Cuidar de você. Esse é o plano.

Fonte: UNIMED CASCAVEL

Conteúdo Protegido
%d blogueiros gostam disto: