Saúde participa de reunião federal para discutir estratégias da vacinação contra a Covid-19

O Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass) promoveu hoje (10) reunião das Câmaras Técnicas da Atenção Primária em Saúde e de Epidemiologia para a discussão sobre a Campanha de Vacinação contra a Covid-19. - Curitiba, 10/06/2021 - Foto: Divulgação SESA

O Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass) promoveu nesta quinta-feira (10) reunião das Câmaras Técnicas da Atenção Primária em Saúde e de Epidemiologia sobre a Campanha de Vacinação contra a Covid-19. Cerca de 60 representantes dos estados participaram da reunião, que avaliou as ações desenvolvidas até o momento e debateu sugestões para agilizar a imunização.

Os técnicos do Paraná destacaram que vêm discutindo e pactuando junto ao Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) todas as ações relacionadas à vacinação da Covi-19. “Estamos em diálogo permanente e trabalhando de forma próxima e conjunta, como a situação exige”, afirmou a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Sesa, Maria Goretti David Lopes.

Na reunião, a Sesa fez duas sugestões para encaminhamento à Câmara Asessora do Programa Nacional de Imunizações: retomada da vacinação das gestantes sem comorbidades e de pessoas com hipertensão.

“Sabemos que muitos estados já estão vacinando pessoas nas duas situações, mas o Paraná, que segue as orientações do PNI, ainda aguarda as recomendações por meio dos Informes Técnicos”, disse a diretora.

O Paraná registrou neste ano, até o momento, 75 óbitos maternos, sendo 49 por Covid-19. Em 2020 foram 80 óbitos maternos, 17 provocados pela doença. A morte materna considera o óbito da mulher durante a gestação ou até 42 dias após o termina da gestação.

A hipertensão, doença que apresenta fator de risco para a instalação de outras enfermidades, não consta nos campos da ficha do SIVEP-gripe (Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica da Gripe). Índices nacionais apontam que 30% dos brasileiros são hipertensos.

ATENÇÃO PRIMÁRIA – O assessor de relações internacionais e coordenador técnico do Conass, Fernando Cupertino, disse que é preciso ter estratégias para atuar diante da realidade de um País com profundas desigualdades, principalmente entre os municípios. Ele destacou o papel da Atenção Primária, primeiro nível de atenção em saúde que se caracteriza por um conjunto de ações que abrange a promoção e a proteção da saúde, a prevenção de agravos, o diagnóstico, o tratamento, a reabilitação e a redução de danos.

“Por isso a Atenção Primária, que é um dos pilares do Sistema Único de Saúde, nunca foi tão importante como agora. Os estados não podem se eximir do papel de promotores dos serviços inseridos na área”, destacou. “Os gestores da saúde têm que se colocar no lugar daquele que sofre por varias questões e as vezes precisa de um simples esclarecimento”.

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, que é vice-presidente da região Sul do Conass, falou sobre as ações do Paraná na área e avaliou a reunião como importantíssima para definir as próximas ações. “Contamos sempre com o apoio dos conselhos intergestores para orientar e delinear nossas ações”, afirmou.

Fonte: AEN