Porto bate recorde e faz maior embarque de farelo de soja em um único navio

Mais um grande navio graneleiro atraca no Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá para receber uma carga recorde de farelo de soja. O Pacific Myra, com 292 metros de comprimento (loa) e 45 metros de largura (boca), atracou no berço 214, no último final de semana, e segue carregando. A embarcação vai levar, para a Holanda, 108.577 mil toneladas do produto. - Paranaguá, 12/04/2021 - Foto: Claudio Neves/Portos do Paraná

O Porto de Paranaguá está realizando o maior embarque de farelo de soja em um único navio de sua história. O graneleiro Pacific Myra tem 292 metros de comprimento (loa) e 45 metros de largura (boca). Ele atracou no berço 214 no último final de semana e segue sendo carregado. A embarcação vai levar para a Holanda 108.577 toneladas do produto.

O diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia, lembrou que ele completa uma evolução que vem desde o ano passado. Em junho de 2020 foram carregadas 102,2 mil toneladas em um único navio, o Pacific South. Um mês depois, em julho, foram 104,2 mil toneladas embarcadas no E.R Bayonne.

Ele afirmou que agora esta embarcando mais de 108,5 mil. Todos no mesmo berço. Esta superando a cada novo grande embarque, e conseguindo carregar cada vez mais, com segurança e eficiência.

A embarcação atracou no Porto de Paranaguá no último sábado (10), por volta das 17 horas. Na tarde desta segunda-feira (12) ainda restavam 65 mil toneladas para completar a carga. A previsão é que o navio zarpe no próximo dia 14, quarta-feira, às 3 horas.

Com bandeira panamenha, o navio Pacific Myra tem capacidade para carregar até 180 mil toneladas de granéis sólidos. A embarcação está entre as maiores do segmento a operar no Porto de Paranaguá.

Luiz Teixeira da Silva Júnior, diretor de Operações da Portos do Paraná, explica que a viabilidade dessa operação de navio de maior porte (comprimento maior que 145 metros) mostra ao mercado que os terminais paranaenses têm condições de atender as demandas de mercado. Ele disse que embora não seja comum navios graneleiros desse porte, esta mostrando que pode habilitar para operação desse tipo, aproveitando oportunidades de mercado. Mostrando ao mercado a capacidade operacional.

Ainda segundo Teixeira, os custos envolvidos nessas operações são relativamente menores na comparação com navios de médio porte. Completou dizendo que esta carregando praticamente o dobro de carga em um único navio. Ele destacou, ainda, que a operação envolveu um planejamento diferenciado da Portos do Paranaguá.

ESFORÇOS – Gilmar Francener, gerente de Operações da Portos do Paraná, disse que a carga está saindo por correias transportadoras de quatro terminais diferentes que compõem o Corredor de Exportação para os porões do Pacific Myra. Pelos silos públicos horizontais serão carregadas 20.272 toneladas; pelo terminal Centrosul, 9 mil toneladas; pelo terminal Coamo, 37.327 toneladas; e pelo terminal Cotriguaçu, 31.478 toneladas. A agência responsável é a Cargill e a operação é da Tibagi.

Explicou que para esse tipo de operação, solicitou um aceite técnico do porto. A Portos do Paraná, por sua vez, autoriza o recebimento do navio mediante um planejamento de atracação, avaliando as condições de espaço e compatibilidade com os navios dos berços adjacentes.

Ainda de acordo com o gerente, durante a operação, pelo porte da embarcação, são necessárias manobras como a puxada e o giro do navio, para que todos os porões sejam carregados com segurança. Francener disse que a eficiência no planejamento, a agilidade no carregamento e a segurança operacional são os atrativos para o aumento da demanda desse tipo de operação.

Fonte: AEN

Conteúdo Protegido