Paraná completa dois meses de vacinação contra Covid-19

Vacina Oxford/AstraZeneca para imunizacao em profissionais de saude do Hospital de Reabilitação do Paraná que tem leitos exclusivo de combate à Covid-19. Curitiba, 27/01/2021. Foto: Geraldo Bubniak/AEN

Há dois meses, em 18 de janeiro, era vacinada a primeira paranaense: a enfermeira Lucimar Josiane de Oliveira, que desde o início da pandemia esteve na linha de frente de combate ao coronavírus no Complexo Hospital do Trabalhador. Naquela data, o CHT vacinou mais sete profissionais, dando o pontapé inicial à execução do Plano Estadual de Vacinação Contra a Covid-19 no Paraná.

Desde então, 553.135 paranaenses foram vacinados e 745.046 doses foram aplicadas, sendo 191.911 aqueles que já receberam a segunda dose, garantindo sua imunização por completo. No total, foram 1.260.000 doses recebidas pelo Ministério da Saúde: 1.071.000 da Coronavac, produzida pela Sinovac e Instituto Butantan, e 189 mil do imunizante produzido na parceria entre Universidade de Oxford, AstraZeneca e Fiocruz.

Nestes 61 dias que marcam os dois meses desde as primeiras doses, o Paraná vacinou 13,32% do total da população de grupos de risco previstos no plano de vacinação. São 21 grupos prioritários, totalizando 4.019.115 pessoas.

Até o momento, foram imunizados com a primeira dose 11.196 idosos residentes em instituições de longa permanência; 667 deficientes; 9.085 indígenas; 252.121 profissionais de saúde; 32.114 idosos com mais de 90 anos; 64.836 idosos entre 85 e 89 anos; 110.261 idosos entre 80 e 84 anos; 72.190 idosos entre 75 e 79 anos e 675 idosos entre 70 e 74 anos.

O secretário estadual de Saúde, Beto Preto afirmou que a vacinação é a estratégia mais eficaz de combate à Covid-19. Estamos empenhados em chegar a todos os paranaenses do grupo prioritário com rapidez. O Programa Nacional de Imunizações (PNI) é um ativo muito precioso do Brasil e que mais uma vez está ajudando a vencer uma emergência em saúde pública.

O Estado conta com mais de 1,8 mil salas de vacinação e desde o começo do ano preparou a rede com seringas, agulhas e refrigeradores para dar velocidade à imunização. Desde o primeiro momento também utiliza aeronaves para acelerar a distribuição aos municípios.

PRIMEIRAS DOSES – O primeiro lote de Coronavac chegou à capital paranaense na noite de 18 de janeiro, composto por 265,6 mil doses. No mesmo dia, as primeiras doses foram aplicadas no CHT e, no dia seguinte, foram distribuídas às 22 Regionais do Estado por via aérea e terrestre, utilizando três aeronaves do Governo, além de helicópteros e caminhões.

Até o dia 20 de março, menos de 48 horas após chegar ao Aeroporto Afonso Pena, toda a primeira remessa já havia sido distribuída aos 399 municípios.

Naquele momento, foram destinadas 22.720 doses para a população indígena e 242.880 doses para profissionais de saúde envolvidos no atendimento de pacientes com Covid-19, idosos em asilos e seus cuidadores e pessoas com deficiência severa.

Foram 126 mil pessoas vacinadas nesta etapa – a maior parte profissionais da saúde. As demais doses foram aplicadas três semanas depois, seguindo o intervalo de 21 dias entre doses recomendado pela fabricante do imunizante.

Poucos dias depois, na noite de 23 de janeiro, uma nova remessa vinda do Rio de Janeiro pousava em São José dos Pinhais. Eram as primeiras desenvolvidas pela Universidade de Oxford e pelo Laboratório AstraZeneca. Desta vez, o lote trouxe 86.500 doses da vacina – parte paranaense de um total de 2 milhões de doses importadas da Índia, fabricadas no país asiático pelo Instituto Serum, parceiro da AstraZeneca.

No terceiro lote foram mais 39.600 doses da Coronavac. Elas foram enviadas em 25 de janeiro e permitiram que o Estado aumentasse a vacinação dos primeiros grupos prioritários. O quarto lote, com 147.200 doses da Coronavac, deu início na vacinação de pessoas com mais de 90 anos.

LOTES SEGUINTES – A quinta remessa chegou no final de fevereiro, quando o Estado tinha alcançado 380.019 vacinados, sendo 286.837 com a primeira dose e 93.182 já com a segunda. A remessa de 167.300 doses foi dividida pelos dois laboratórios: 102.500 da Universidade de Oxford e 64.800 da Covonavac. Elas fizeram o Estado avançar sobre o público com mais de 80 anos.

A sexta remessa chegou em março. O Ministério da Saúde mandou 146.800 doses de vacinas contra o novo coronavírus, parte de uma nova remessa de 1,9 milhão de doses encaminhadas pelo Butantan ao governo federal. Com números muito próximos, a sétima remessa trouxe 148.600 doses de vacina. Com ela, o Estado ultrapassou a marca de 1 milhão de doses recebidas, chegando a 1.001.600 vacinas.

Esses imunizantes permitiram que o Estado passasse a imunizar a população entre 70 e 80 anos. Na época, dia 9 de março, o Estado tinha aplicado 545.966 doses, sendo 413.611 da primeira e 132.355 da segunda dose.

ESTÁGIO ATUAL – O último lote enviado ao Paraná pelo Ministério da Saúde, o oitavo da Coronavac, chegou ao Paraná nesta semana, no dia 16 de março, com mais 258,4 mil doses. Elas já foram distribuídas ao Interior do Estado.

Até a quinta-feira (18), os 399 municípios paranaenses haviam aplicado, em média, cerca de 70% das doses já recebidas. Apenas nove municípios aplicaram 100% das doses: Tamarana, Diamante do Norte, Diamante D’Oeste, Jardim Olinda, Nova Santa Bárbara, Porto Rico, Santa Tereza do Oeste, Siqueira Campos e Cascavel.

Está em curso, nesse momento, a vacinação dos profissionais de saúde e dos idosos entre 75 e 79 anos. Segundo a Secretaria de Saúde, a expectativa é de vacinar todos os idosos acima de 60 anos ainda em abril, e finalizar a imunização dos grupos prioritários até maio.

Fonte: AEN



Conteúdo Protegido
%d blogueiros gostam disto: