Infância Segura promove ação de prevenção à violência contra crianças

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho, realizará nesta quinta-feira (15) uma ação de rua na Boca Maldita (Avenida Luiz Xavier), no Centro de Curitiba, para divulgar a campanha “Não engula o choro”. A ação, desenvolvida pelo Departamento de Justiça, acontece das 14h às 16h e tem o intuito de divulgar a campanha “Não Engula o Choro”.

Programa da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho, a Força-Tarefa Infância Segura (Fortis) envolve outras áreas do Governo do Estado, como saúde, segurança pública, educação e assistência social, e tem o objetivo de fortalecer a proteção de crianças e adolescentes contra todas as formas de violência.

A iniciativa desta quinta-feira busca a conscientização das pessoas para sensibilizar a sociedade sobre esses crimes e estimular as denúncias. O secretário de Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost enfatizou que a violência contra a criança é uma crueldade inaceitável. Não se omita, não se cale, denuncie.

Os sinais que indicam que a criança ou adolescente sofre alguma violência variam de acordo com a idade e tipo de agressão. Além do choro, outras reações são perceptíveis até o fim da adolescência.

Em qualquer idade é preciso prestar atenção ao surgimento, sem causa aparente, de irritabilidade, olhar indiferente e apatia, distúrbios do sono, dificuldade de socialização e tendência ao isolamento e aumento na incidência de doenças e hematomas.

Silvio Jardim, chefe do departamento de Justiça da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho disse que a violência infantil acontece todos os dias na sociedade. Por isso a Força-Tarefa Infância Segura tem o dever de atuar como garantidora dos direitos das crianças e dos adolescentes.

DENÚNCIAS – Em caso de suspeitas, qualquer cidadão pode fazer uma denúncia pelo Disque Denúncia 181. Os atendentes encaminham as chamadas, de acordo com o caso e a urgência, para o Conselho Tutelar, a Polícia Militar ou outro órgão da rede de proteção. O serviço, disponível em todo o Estado, preserva o anonimato do denunciante.

Um dos principais canais de denúncia é o portal Infância Segura, que pode ser acessado AQUI.

Fonte: AEN



Conteúdo Protegido
%d blogueiros gostam disto: