Hora de abandonar alguns temperos

Você tem costume de ler os ingredientes nos alimentos que você consome? E nos temperos? Sabe para que servem os aditivos colocados nos temperos? Vamos pensar um pouco sobre isso.

Você tem costume de ler os ingredientes nos alimentos que você consome? E nos temperos? Sabe para que servem os aditivos colocados nos temperos? Vamos pensar um pouco sobre isso.

                É muito prático abrir a gaveta ou a portinha de temperos na sua cozinha, sacar um cubinho de caldo ou um pacotinho de pozinho mágico e temperar deliciosamente a sua comida, eu sei. Mas raramente pensamos sobre o que estamos colocando na comida que serviremos para nossa família ou convidados. Como algo que tem um gosto e um cheiro tão bons podem fazer mal? A resposta está nos rótulos desses temperos.

                Começando pelo pó vermelho que a propaganda diz que tem amor (você sabe de qual eu estou falando, não preciso citar marcas). É só ler o rótulo e os ingredientes e vamos encontrar algumas coisas curiosas:

Sal: opa, peraí! Eu uso sal para temperar todas as comidas! Como isso pode ser um problema? O problema não é o sal, é a quantidade. É uma regra no Brasil a lista de ingredientes dos produtos começarem pelos itens que estão presentes em maior quantidade no produto. Ou seja, se o sal é o primeiro item na lista de ingredientes, ele é o que está em maior quantidade no produto. O excesso de sal na dieta é comprovadamente1 relacionado com doenças como hipertensão arterial, doenças cardiovasculares e renais. Se você insiste em utilizar temperos industrializados, ao menos atente-se aos produtos com baixo teor de sódio. Sua saúde agradece.

Amido de milho: é um ingrediente que não precisaria estar em um tempero. Ele serve para aumentar a quantidade do tempero, diminuir os custos do mesmo, altera a textura do tempero durante o cozimento (amido de milho é aquela famosa Maisena que você usa para engrossar cremes e molhos, lembra?), e é um carboidrato. Obviamente você não vai consumir grandes quantidades de carboidratos somente utilizando os temperos, mas se ele não precisaria estar ali, não deveria. Aguentem firme que logo chegam as receitas de temperos caseiros!

Gordura vegetal: note que essa informação está incompleta. Não sabemos se essa gordura é vegetal hidrogenada, que é alterada na indústria para permanecer no estado sólido, e nem a fonte da gordura, que pode ser soja transgênica, milho transgênico ou qualquer outra fonte. Uma informação pobre que pode dificultar a interpretação do rótulo.

Alimentos tratados por irradiação: apesar do nome assustar, esse é o mais inofensivo dos ingredientes. Alguns alimentos como alho, cebola, orégano e outros passam por um processo de exposição à radiação para eliminar bactérias e outros microrganismos nocivos aos seres humanos. Entretanto, as quantidades de radiação são consideradas seguras2 para o consumo e não possuem efeito negativo comprovado.

Glutamato monossódico: a grande polêmica na indústria alimentícia. Alguns estudos dizem que o glutamato monossódico (ou GMS) não possui associação a nenhum problema de saúde3, por outro lado, algumas pessoas relacionam o GMS com vários problemas4 como dores de cabeça, enjoos, euforia, alterações na memória, nas sensações, etc. Fato é que o glutamato monossódico é amplamente encontrado na natureza. Ele ganhou notoriedade quanto saiu da culinária asiática e ganhou o mundo. Tradicionalmente, conhecemos quatro tipos de sabores: o doce, o amargo, o ácido e o salgado. Porém, as tradições japonesas nos ensinaram sobre o umami, o quinto sabor. O umami é diferente de todos os outros, mas pode ser uma mistura de todos os outros sabores. É difícil de explicar, mas é fácil de sentir. Feche os olhos. Tente lembrar do sabor desses temperos industrializados, daquele macarrão instantâneo ou daquele realçador de sabor que parece um sal. Conseguiu? Esse é o umami. E a forma de chegar nesse sabor mais facilmente é utilizando glutamato monossódico. Esse sabor é encontrado naturalmente no tomate, nos cogumelos, em queijos (principalmente o parmesão), nas algas, peixes e etc.. É um sabor muito agradável, o que nos torna facilmente dependente dos produtos com altas concentrações de GMS.

O famoso pozinho vermelho e o que ele esconde por trás do coração

                Se analisarmos o rótulo dos famosos cubos de caldo prontos, encontraremos mais coisas ainda:

Aromatizantes: utilizados para você sentir aromas que não existem mais naturalmente nos produtos, os aromatizantes são os maiores encarregados de nos fazerem amar o cheiro desses temperos. Os aromatizantes são produtos sintéticos utilizados para simular sabores naturais que se perdem no processo de fabricação. Alguns deles, como o diacetil, são relacionados a doenças neurais5. Em casa, podemos alcançar esses aromas utilizando ervas e especiarias que vão deixar seus temperos muito aromáticos sem causar tantos danos à sua saúde.

Corantes: os temperos prontos atacam em todas as frentes. Eles precisam ter aromas e sabores agradáveis, mas também precisam ser visualmente interessantes. Por isso, uma grande gama de corantes é utilizada, entre eles o Caramelo IV. Esse corante é largamente considerado um grande facilitador de cânceres de pulmão, fígado, tireoide e outros. Alguns projetos de lei já tentaram proibir a utilização do Caramelo IV em produtos feitos no Brasil, mas a única forma de não consumirmos hoje em dia é evitando alimentos que possuem esse aditivo.

Esses cubinhos não lembram muito a sua infância? Pois é. Eles viciam.

                Percebe como esses produtos podem ser nocivos à sua saúde e à de quem você ama? Temperar com o “tempero do amor” não é um gesto de amor, é um gesto de desinformação. Infelizmente, esses produtos estão presentes em grande parte das casas dos brasileiros e continuarão lá por muito tempo. Mas comece com pequenos passos: diminua o consumo de produtos industrializados. Procure saber o que você come, procure comer coisas que te façam bem para o corpo e para a consciência. Fiquem ligados que eu vou trazer receitinhas coringas de temperos para você abandonar de vez aqueles saquinhos e caixinhas cheios de dúvidas. Lembre-se! Os problemas de saúde citados nessa matéria são acarretados pelo excesso do consumo desses produtos. Então, se você costuma exagerar, segura um pouco a mão. Até a próxima!

Referências:

1 Consumo excessivo de sódio causa hipertensão, doenças renais e cardiovasculares

2 Irradiação de alimentos no Brasil  https://blog.ifope.com.br/irradiacao-de-alimentos-no-brasil/

3 Livro revela aspectos do glutamato monossódico https://www.unicamp.br/unicamp/ju/535/livro-revela-aspectos-do-glutamato-monossodico

4 Saiba o que é glutamato monossódico e os efeitos que a substância pode causar no organismo https://revistacasaejardim.globo.com/Curiosidades/noticia/2019/05/saiba-o-que-e-glutamato-monossodico-e-os-efeitos-que-substancia-pode-causar-no-organismo.html#:~:text=No%20nosso%20corpo%2C%20o%20glutamato,diversas%20outras%20complica%C3%A7%C3%B5es%20%C3%A0%20sa%C3%BAde%22.

5 O cheirinho de certos alimentos industrializados pode trazer riscos à saúde https://www.ecycle.com.br/component/content/article/62-alimentos/2336-cheiro-aroma-comida-industrializada-aromatizante-diacetil-o-que-e-onde-esta-quais-efeitos-pipoca-micro-ondas-macarrao-instantaneo-miojo-salgadinhos-bolacha-congelados-massas-prontas-problemas-respiratorios-alzheimer-alternativas.html

6 Você sabe o que é Caramelo IV? https://idec.org.br/consultas/dicas-e-direitos/voce-sabe-o-que-e-caramelo-iv#:~:text=Por%C3%A9m%2C%20al%C3%A9m%20da%20cor%20desejada,%2C%20f%C3%ADgado%2C%20tire%C3%B3ide%20e%20leucemia.