Em alta, setor de serviços avança 6,3% no primeiro bimestre no Paraná

As informações foram divulgadas nesta terça-feira (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Estradas Movimentação, Carros. Curitiba, 19/03/2019 - Foto: Geraldo Bubniak/ANPr

O setor de serviços continua em recuperação no Paraná, com crescimento de 6,3% no primeiro bimestre de 2021 na comparação com os dois primeiros meses do ano passado. O volume e as receitas das atividades que compõem o setor – que incluem restaurantes, salões de cabeleireiro, academias, imobiliárias, empresas de transportes, entre outros empreendimentos – avançaram em todos os recortes da Pesquisa Mensal de Serviços, divulgada nesta terça-feira (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na variação mês a mês, o volume de serviços teve aumento de 1,4% em fevereiro em relação a janeiro, e as receitas saltaram 3% no mesmo período. Na comparação com fevereiro de 2021, o volume variou 7%, com aumento de 13,2% das receitas naquele mês. Já no acumulado de 12 meses – de março de 2021 a fevereiro de 2022 – a variação foi de 10,9%, com crescimento de 16,1% nas receitas na comparação com o período anterior.

“A economia paranaense segue avançando em todos os setores. As atividades de serviços, que é um dos que mais refletem o consumo das famílias e que também foi muito impactado pelas restrições da pandemia, iniciaram o ano em plena recuperação”, afirma o governador Carlos Massa Ratinho Junior. “É uma área que emprega muita gente e tem um grande número de empreendedores, representando um peso importante na economia e no mercado de trabalho paranaenses”.

Esse bom recorte já vinha sendo observado no balanço do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). O setor foi o que mais contratou em fevereiro, com 19.709 vagas abertas.

SETORES – A variação positiva no período foi observada em três das cinco atividades citadas pelo IBGE, com o bom resultado em janeiro e fevereiro no Estado sendo puxado pelas atividades de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio. O avanço nessa área foi de 12,8% em relação ao primeiro bimestre de 2021.

Os serviços profissionais, administrativos e complementares cresceram 7,5% no período e os serviços prestados às famílias, 0,9%. Houve queda nos serviços de informação e comunicação (-1,5%) e em outros serviços (-5,8%).

Na comparação com fevereiro do ano passado, as atividades de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio fecharam em alta de 12,6%; e os serviços profissionais, administrativos e complementares avançaram 11,4%. A variação foi negativa nas demais atividades no período: serviços de informação e comunicação (-1,8%); serviços prestados às famílias (-2,4%); e outros serviços (-2,4%).

Já no acumulado de doze meses, que mostra a comparação com o primeiro ano de pandemia, os índices estão melhores na maioria das atividades. Os transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio cresceram 16,8%; serviços prestados às famílias (15,7%); serviços profissionais, administrativos e complementares (8,5%); e serviços de informação e comunicação (4). Os outros serviços caíram -2,2%.

TURISMO – As atividades turísticas, também parte desse setor, cresceram 15,9% no primeiro bimestre deste ano no Paraná na comparação com o mesmo período do ano passado. Na análise mensal do IBGE, fevereiro deste ano registrou crescimento de 14,9% no setor em relação a fevereiro do ano passado e uma pequena queda de 2,2% em relação a janeiro, o mês das férias.

PAÍS – No Brasil, o volume de serviços recuou -0,2% em fevereiro, com relação a janeiro, com queda em 14 das 27 unidades da federação de um mês para o outro. Mas os resultados sem mantêm positivos nos demais recortes. Houve crescimento de 7,4% nas atividades, no Brasil, na comparação com fevereiro do ano anterior; de 8,4% no primeiro bimestre; e de 13% no acumulado de 12 meses.

Fonte: AEN

Conteúdo Protegido