Covid-19: Macrorregião Oeste tem o menor crescimento de casos

Nesse domingo (5), a Secretaria Estadual de Saúde apresentou um boletim informativo referente à semana 27 (28 de junho à 04 de julho) compilando os dados por macrorregiões.

Macrorregião significa o grande agrupamento de uma determinada região ou regiões, de modo que envolva partes ou territórios inteiros dos estados.

O Estado utilizou como referência dados consultados da planilha de monitoramento diário de casos do CIEVS/DAV/SESA do dia 5 de julho apurados até 12 horas de ontem.

Na semana 26 (21 de junho à 27 de junho) a macrorregião Oeste apresentou 2.101 novos casos de Covid-19, na semana seguinte (28 de junho à 04 de julho), o número evoluiu para 2.210 casos confirmados, ou seja, 5% de aumento. É o menor crescimento de casos entre as macorregiões de uma semana para a outra.

A macrorregião Oeste é composta pelas regionais de Saúde dos municípios de Francisco Beltrão (8ª RS); Foz do Iguaçu (9ª RS); Cascavel (10ª RS) e Toledo (20ª), que juntas somam 1.265.078 pessoas.

A 10ª regional de Cascavel é responsável pela maior parte da população referenciada com mais de 500 mil habitantes.

Já a maior porcentagem de casos confirmados, segundo a Secretaria Estadual de Saúde, é a macrorregião Leste composta pelas regionais de Paranáguá (1ª RS) e de Curitiba (2ª RS Metropolitana).

Na semana 26, a região Leste tinha 2587 casos confirmados, na semana seguinte saltou para 5405 casos positivos para Covid-19, um aumento de 109%.

Essa macrorregião é responsável pela referência de 3.459.574 pessoas. As demais macrorregiões, em ordem crescente, registraram um aumento de 12% (Noroeste) e 33% (Norte).

“Os números evidenciam que o trabalho na macrorregião Oeste, em especial na cidade de Cascavel, começou mais cedo, mesmo antes do primeiro registro positivo de Covid-19 no Brasil, em 26 de fevereiro, quando um homem de 61 anos que havia viajado para à Itália apresentou os sintomas”, destacou o Secretário de Saúde de Cascavel, Thiago Daross Stefanello.

A primeira ação do Município foi ativar o Comitê de Operações de Emergência, órgão responsável pelas ações de combate à Covid-19, com participação de membros da sociedade civil organizada e profissionais de saúde, no primeiro momento, e na sequência com a maior concentração de especialistas da saúde no suporte técnicos às decisões tomadas pelo gestor público municipal.

Destaque para o Call Center (3096-9090), onde atendentes e profissionais da saúde passaram a monitorar pacientes sintomáticos e assintomáticos. Em mais de três meses de atividades, mais de 20 mil pessoas foram atendidas e monitoradas e o trabalho continua, enquanto a pandemia perdurar.

A evolução da doença na macrorregião Oeste fez com  que, constantemente, o município adotasse medidas e ações para o atendimento aos pacientes confirmados: unidades de saúde de referência para síndromes respiratórias agudas graves, Hospital de Retaguarda, Hospital de Campanha/Centro de Triagem, aquisição de insumos e equipamentos aos profissionais de saúde.

Além disso, inúmeras campanhas educativas para o uso de máscaras, higienização das mãos, fiscalização do uso obrigatório de proteção facial, ampliação dos Leitos Covid-19 no Hospital Universitário, boletins diários da situação do municipal em relação à Covid-19

“Paciência, resiliência e humildade formam o tripé do trabalho desempenhado pela Secretaria de Saúde de Cascavel, pois decisões são tomadas todos os dias em prol da nossa população. O sistema na macroregião ainda não está colapsado porque temos ações e demandas constantemente”, finalizou Thiago.

Conteúdo Protegido
%d blogueiros gostam disto: