Conheça as áreas de atuação na Gastronomia

Nesse último texto (por enquanto) para quem quer trabalhar em gastronomia, vamos falar sobre como você pode trabalhar na gastronomia.

Fechando esse assunto no mês de outubro, começaremos o mês de novembro conversando com o público geral, não só com quem pensa em trabalhar na área. Então começaremos a falar de receitas, técnicas e dicas de cozinha profissional que podem se aplicar à sua casa e mais. Então vamos lá.

As áreas de atuação em produção de alimentos são inúmeras! Trabalhar com gastronomia está muito longe de simplesmente trabalhar em uma cozinha de um restaurante ou algum estabelecimento que serve comida. Você já parou para pensar em quantas profissões trabalham com alimentos no dia-a-dia? Pois bem.

Podemos listar algumas das mais importantes que, por algumas vezes, passam desapercebidas por quem quer entrar no ramo da gastronomia e não sabe por onde começar. Alguns dos ramos para se trabalhar com alimentos:

Cozinheiro: essa deve ser a área mais comum quando se pensa em gastronomia, mas está longe de ser a única. É da profissão de cozinheiro que saem os grandes chefs, mas não se engane: é um caminho longo, difícil e ingrato. Para começar, na maioria dos restaurantes e hotéis, quase ninguém começa trabalhando como cozinheiro. O primeiro passo é lavar muita louça, limpar chão, equipamentos e buscar as oportunidades. É uma profissão que não se adequa muito bem à legislação trabalhista, principalmente nas horas de trabalho, mas isso também é assunto para uma coluna inteira. O cozinheiro chega antes da cozinha abrir e vai embora depois de ela estar limpa. É um serviço pesado que coloca à prova se você realmente ama o que faz. Servir as pessoas, ouvir os comentários e os feedbacks sobre a sua comida é impagável, então é um ramo que exige muita dedicação e carinho por parte dos profissionais da área.

Personal chef: essa é uma aventura que você vai encarar quase sozinho. O personal chef é o profissional que cozinha em eventos privados para pessoas que os contratam em casos específicos. Por exemplo: você quer fazer um jantar em homenagem à uma pessoa ou à uma data comemorativa. Por diversos motivos, você quer realizar o jantar, mas não quer cozinhar. Qual a solução? Um personal chef! Esse é o profissional que vai até o local que você escolheu, prepara o jantar da forma que você escolher, limpa a cozinha após seu evento e você fica somente com os elogios dos convidados. Maravilhoso, né?! Esse é um ramo em crescimento e tem sido uma ótima escolha para os cozinheiros que resolvem escolher essa opção de carreira.

Professor: uma das profissões mais nobres do mundo também tem um mercado muito grande para os profissionais de gastronomia. Com tantos cursos, faculdades e workshops acontecendo, o cenário da gastronomia precisa sempre de profissionais qualificados, com experiência, com didática e, muito importante, a vontade e a capacidade de ensinar e lidar com pessoas em fase de aprendizado. Cada conquista que eu tenho como cozinheiro se deve ao fato de eu ter tido grandes professores na faculdade de gastronomia, então é importante lembrar dessa profissão com carinho, pois ela é a base de tudo, não só na cozinha.

Empreendedor: você quer atuar no ramo de alimentação, mas não quer ficar na cozinha. Se você tem a oportunidade e o capital necessário, o ramo de restaurantes e bares está sempre aberto aos novos desafios. Quantos restaurantes você viu abrir na sua cidade nos últimos anos? E, mais importante ainda, quantos ainda estão abertos? O empreendedorismo em restaurantes é uma ótima opção para quem tem experiência gerencial e quer trabalhar com comida.

Indústria alimentícia: talvez nem seja uma indústria muito associada com a gastronomia profissional, mas todos os produtos alimentícios que estão à venda nos mercados foram desenvolvidos, testados várias vezes e chegaram às gôndolas porque alguém teve a ideia de transformar um ingrediente em um produto para ser comido. As grandes empresas alimentícias possuem cozinheiros em suas equipes que são parte da inovação e da base da criação de novos produtos, então essa também é uma atuação muito importante dos cozinheiros.

Gastronomia hospitalar: uma das áreas mais apaixonantes da gastronomia é essa. O gastrólogo desse nicho trabalha em hospitais e clínicas preparando alimentação para pacientes, considerando as restrições de cada um. Nesse mercado, o gastrólogo precisa trabalhar muito com o nutricionista para entender muito bem as restrições que cada problema de saúde traz. Por exemplo: um paciente com disfagia, que é a dificuldade para engolir, não pode ser servido com um prato seco que dificulte mais ainda seu estado. Nesse caso, o gastrólogo e o nutricionista precisarão elaborar pratos cremosos, com temperaturas mais frias e com temperos mais suaves. Trabalhar com gastronomia hospitalar exige muito carinho e dedicação aos pacientes, o que torna a profissão ainda mais apaixonante.

Consultoria: fazer consultorias gastronômicas é um ramo em crescimento. Preparar projetos, cardápios, planos de ações para uma cozinha e treinamento de equipe são apenas alguns dos campos em que um consultor gastronômico pode jogar. Essa é uma profissão que exige uma especialização mais alta, pois, além de saber como funcionam todos os processos de uma cozinha, o consultor também precisa saber ensinar e fazer com que a cozinha continue funcionando bem após o término do seu serviço. O alto nível de entendimento é o que faz com que esses profissionais sejam escassos e tornam a busca por consultores em gastronomia muito alta.

Catering: uma empresa de catering é a que fornece alimentação para companhias de aviação, eventos, restaurantes de empresas, hospitais, etc. É um serviço terceirizado, ou seja: uma companhia aérea não produz os alimentos que serão servidos em um avião, pois é necessária uma empresa com certificação para realizar tal serviço. Esse serviço é provido por uma empresa de catering. Os alimentos são produzidos no espaço da empresa seguindo todas as regras da aviação, embalados e entregues diretamente aos aviões. Essas empresas, quase invariavelmente, trabalham com grandes volumes de alimentos e grandes equipes de cozinheiros e outros profissionais desenvolvendo e produzindo os alimentos e aí que entra a figura do gastrólogo. Um cozinheiro profissional pode trabalhar nessas empresas, que exigem uma grande padronização dos produtos e um nível de excelência muito alto. 

Apesar de muitas, essas não são todas as posições em que um cozinheiro pode jogar. Eu nem vou entrar no mérito de cozinheiros que entram na profissão e descobre um amor por outras áreas relacionadas (pela nutrição, inclusive, nem é raridade). Então você já sabe o que gostaria de fazer? Qual seu próximo passo? Lembre-se: sempre que precisar conversar sobre isso, basta me chamar no instagram (www.instagram.com/schecheli) ou no facebook (www.facebook.com/schecheli). Espero que esses três textos sobre o trabalho na gastronomia possam ter ajudado a quem quiser começar e espero todos nas próximas semanas, começando a nossa programação normal.

Conteúdo Protegido
%d blogueiros gostam disto: