Arquitetura e BBB. Existe uma ligação?

Seja você uma pessoa que o adore ou o odeie, nos dias de hoje é impossível não ter ao menos uma impressão a respeito do Big Brother Brasil. Independente se você segue ou não o programa, assiste na TV aberta, no streaming ou até 24 horas por dia pelo Pay Per View, a maioria das pessoas sabe ou tem pelo menos uma leve ideia do que está acontecendo dentro da casa mais vigiada do Brasil.

Mas você jamais imaginou que um participante recorrente provavelmente está por trás de todas as maquinações, tretas, combinações de votos e brigas. E isso está na cara de todo mundo o tempo todo.

Mas quem é esse participante?

Se eu te disser que o participante misterioso que irrita tanto as pessoas sem descanso é a casa, você vai acreditar?

Nas primeiras edições do reality, os ambientes da casa eram mais parecidos com uma casa normal (se por casa, você se refira a uma mansão onde quase vinte pessoas possam morar tranquilamente).

As cores eram mais sóbrias, neutras e a decoração seguia na mesma linha. Objetos de design, iluminação, móveis e estofados eram usados levando em conta um estilo mais corriqueiro. Isso facilitava a identificação do telespectador com a casa do programa, que nessa época ainda era uma novidade.

A partir da quarta edição, já no ano de 2004, os quartos ganharam temas, que são usados até hoje, tendo a padronização mudada a cada edição.

As cores passaram de tons sóbrios para matizes fortes e vibrantes como amarelo vermelho, laranja, verde e suas variações.

Na sala e cozinha, ainda são usados as nuances mais claras nos  móveis, mas cheios de detalhes coloridos, amadeirados e geométricos.

A partir daí, a cada edição a decoração da casa foi se sofisticando e ficando cada vez mais carregada. Muitos padrões, muitas estampas e almofadas coloridas. Revestimentos e pisos frequentemente deixaram de usar apenas um estilo de desenhos.

Nessa edição temos o quarto cordel, que com figuras que lembram o sertão homenageia o nordeste e a literatura de cordel enquanto o outro brinca com formas geométricas e coloridas.

As cores fortes marcam presença no restante da casa, como o pink, azul, amarelo, estampas multicolores e texturas como pedra e tijolinho fecham a lista dos padrões.

Aí você pergunta: Mas o que isso tudo tem a ver com as encrencas, tretas e discussões dentro da casa?

A resposta é muito simples: Toda a decoração, disposição dos móveis e iluminação da casa são criadas e desenvolvidas pra causar stress nos participantes.

Todas as vezes que uma pessoa é exposta a informação demais dentro de um ambiente por um período de tempo prolongado, a irritabilidade é aumentada de forma exponencial.

Sabe quando você está sem tempo pra lavar aquela pilha de louça que já está na pia há 2 dias? Ou quando a sua mesa de trabalho está uma bagunça?

A cada vez que você olha pra elas e não consegue resolver a situação, se sente mais desconfortável e irritado não é mesmo? A ideia é a mesma.

Juntando isso com a pouca comida que é disponibilizada para o grupo da Xepa, o nervosismo das provas, eliminações e demais dinâmicas do programa, é como se o clima do local forçasse os participantes a ficarem cada vez mais nervosos e por fim desestabilizados, criando as confusões que a gente adora.

E você? Adora o programa? Detesta? Já tinha se dado conta desses detalhes da produção? Conta aqui pra gente.