Animais são encontrados em situação de abandono e maus tratos em Corbélia

Na tarde desta terça-feira, 24, membros da ONG Proteção Animal de Corbélia, juntamente com uma equipe da Polícia Militar, estiveram em um sítio no interior do município para averiguar uma situação de maus tratos a animais. Nossa equipe de reportagem acompanhou toda a ação. (Veja o vídeo no final da reportagem)

A denúncia que chegou por meio do whatsapp, veio através de um vídeo em que mostra a situação que os animais se encontram. Ao lado da equipe da PM, chegamos ao local e por volta das 15h45min,

Em um sítio não muito longe da cidade encontramos diversos animais em situação de total abandono. Até chegar ao “canil” é preciso andar um pouco, e pelo caminho já encontramos um animal. Muito magro ele pouco se move do lugar onde está. As protetoras imediatamente providenciam a ração que é devorada rapidamente. É preciso que alguém fique ao seu lado para que ele não se afogue com os grãos. O animal tem a pele tomada por manchas e quase não consegue mastigar.

No canil o cheiro de fezes é quase que insuportável, é possível observar que o local não é limpo há semanas. Por um portão eles latem como se pedissem por socorro. As protetoras entram e imediatamente colocam comida, todos se mostram famintos e devoram cada grão colocado.

Não há um cachorro sequer no recinto que demonstre estar bem de saúde, todos estão magros e esqueléticos. Os cochos acumulam sujeira e uma água verde. Em nenhum local foi encontrado comida ou água.

No total são 12 animais, sete adultos e cinco filhotes. As duas mães estão em baias separadas, e uma delas tem o rabo machucado, com sangue pelo corpo ela parece estar comendo seu membro.

O responsável pelos animais aluga o espaço, ele é chamado pelo advogado do proprietário. Logo que chega tenta justificar o injustificável. As protetoras questionam e avisam que pretendem levar todos os animais. O homem implora e pede uma segunda chance, ele está disposto a cumprir todas as exigências feitas, inclusive encaminhar todas as cadelas para castrar.

Apesar da situação ser de prisão em flagrante por maus tratos à animais, o homem se responsabiliza diante a polícia e as protetoras de que irá limpar as baias, e que dará comida com mais frequência para os animais, além de levar todos para a vacinação e castração.

Apesar da insistência do homem em ficar com todos os animais, as protetoras precisam levar as cadelas com filhotes que estão debilitadas. O homem aceita.

As protetoras começam o trabalho de recolha, e entre eles é levado também o cachorro que foi encontrado extremamente debilitado no caminho. O homem nega que esse lhe pertença.

Com o comprometimento a ONG passará a realizar visitas frequentes ao local, caso a situação não apresente melhoras consideráveis a Polícia será novamente acionada e a denúncia judicializada para que o homem responda criminalmente.

As duas fêmeas recolhidas pela ONG serão devolvidas ao tutor após a castração caso ele esteja cumprindo com o acordo, já os filhotes serão castrados e doados.

Todos animais recolhidos pela ONG foram encaminhados para uma avaliação com uma veterinária, para receberem o tratamento e cuidados necessários.

Conteúdo Protegido