A ESCOLA MÓVEL E O NEGÓCIO PRÓPRIO


Você está lendo esta notícia no site Conexão Revista. Um portal de notícias independente e feito por jornalistas com informações sobre tudo o que acontece em Corbélia e região.

O empreendedorismo cresceu fortemente no Brasil, e vem sendo tratado como um efeito colateral da crise econômica que o país vem enfrentando. O alto número de desempregados, os obrigam a buscar uma nova fonte de renda. A criação e formalização do negócio vem pouco tempo depois. Assim os empreendedores da crise se tornam também um dos responsáveis pela maior parte da geração de postos de trabalho.


Quem nunca sonhou ter o próprio negócio? Entrar para este cenário pode significar mais tempo com a família, uma vida mais saudável e principalmente com maior lucro financeiro. Cerca de 70% dos brasileiros sonham ter o próprio negócio. Infelizmente, muitas pessoas dão início ao próprio negócio sem nenhuma perspectiva, conhecimento ou treinamento do mercado que vão atuar.

O projeto Escola Móvel do Sistema Fiep – Sesi/Senai que chegou em Corbélia no mês de Abril foi a oportunidade para aprender e aperfeiçoar os negócios. Uma estrutura de duas tendas e um conjunto de containers se transformou em salas de aula, e muita mais que isso, em oportunidade de aprendizagem.

O Gerente de Ações Móveis do Sistema Fiep, Waldemir Amaro, conta que só é possível levar toda essa estrutura à cidade através de uma parceria entre SENAI e prefeitura municipal. A prefeitura paga o custeio do projeto, o oferece o terreno , energia elétrica e segurança para que o projeto seja implementado no município.

Os cursos trazidos em Corbélia foram Corte e Costura Industrial; Noções de Mecânica de Motocicletas; Fabricação de Bolos e Pães Naturais e Integrais; Fabricação de Salgados assados e fritos e ainda Confecção de Bolsas em Tecido e Técnicas de Fabricação de Pizzas. De acordo com a Secretaria de Assistência Social ao todo foram 142 alunos.

Os alunos foram selecionados pela prefeitura e não pagaram pelo cursos. De acordo com Waldemir Amaro, estes cursos teriam outra duração em escolas normais, e chegariam a custar R$900,00. “Os alunos são selecionados pela prefeitura e não pagam pelo curso , estes mesmos cursos nas escolas poderiam durar de 2 a 3 meses com aulas duas vezes por semana , neste projeto as aulas são realizadas durante a semana, otimizando a utilização da estrutura. O investimento médio por aluno no mercado poderia corresponder entre R$ 600 a R$ 900 reais , desta forma as oportunidades oferecidas para a comunidade local sem custo representam uma oportunidade para se preparar para o mercado de trabalho” conta.

Os alunos recebem um certificado de iniciação profissional, qualificação ou especialização, dependendo da carga horária. “Estes certificados são reconhecidos pelo mercado de trabalho, deverá ser considerado também a possibilidade de abertura de uma MEI ( Micro Empreendedor Individual ) gerando renda e emprego” finaliza.

Envie sugestões de pautas, fotos ou videos, para o nosso Whatsapp que a nossa equipe irá atender você (45) 9 9958-3996 ou Receba notícias da Conexão Revista no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!

Conteúdo Protegido
%d blogueiros gostam disto: